Entenda a hierarquia do ambiente de venda

imagem_destacada_Zara

Por Ariela Ranielly

Para construir uma boa estratégia de exposição de produtos é preciso entender o funcionamento de cada espaço da loja e como o consumidor percebe cada um deles. Afinal, não é por mero acaso que aquele item maravilhoso que te hipnotiza está exposto na entrada da loja.

Por isso te contamos aqui um pouco das particularidades de cada cantinho do ponto de venda:

1. Zona de Transição ou Zona Platinum
O espaço logo a após a porta (principalmente se houver apenas uma entrada) é bastante valorizado pelos lojistas. E não poderia ser diferente, certo?! No entanto, a entrada é uma região ambígua pois, ao mesmo tempo que deve impactar e captar o consumidor que passa em frente à loja, ao entrar ele está tão entretido e distraído que não perceberá quase nada a sua volta. Por isso essa zona é considerada um espaço de transição (entre o ambiente externo e o universo mágico da loja) e adaptação do consumidor a todos os novos estímulos (cartazes, displays, vendedores, produtos, música, cheiro e etc) com os quais ele entrará em contato.

2. Zona Primária ou Zona Ouro
Passado o processo de adaptação o consumidor está pronto para focar no seu objetivo e começar a explorar o ambiente de vendas. E esse primeiro contato precisa ser surpreendente! Por isso a zona primária é ideal para a exposição de produtos TOP, lançamentos e outros que chamem a atenção do shopper (e isso pode variar de acordo com o público alvo da sua marca). Também são consideradas zonas primárias regiões próximas ao caixa, topo de escadas rolantes e demais espaços aonde haja oportunidade de vendas por impulso!

hierarquia de loja.png

3. Zona Secundária ou Zona Prata
Localizada geralmente no centro da loja, aqui o ideal é trabalhar produtos mais básicos, com boa margem de lucro, tipo “arroz com feijão”, e que sejam complementares a produtos sazonais (os quais o consumidor já vai ter visto na entrada da loja).

4. Zona de destino ou Zona Bronze
Região com boa visibilidade da entrada ou do meio da loja (dependo do tamanho do seu espaço) funciona como “chamariz” para que o consumidor tenha motivos para percorrer toda a loja, por isso é ideal para exposição daqueles produtos que são o “carro chefe” da marca assim como promoções, espaço de provadores e caixa. Por exemplo, para marcas jovens o jeanswear é uma linha de procura certa e portanto é ideal para estar no fundo da loja.

5. Zona de descoberta
Sabe aqueles cantinhos, espaço escondidinhos da loja, nos quais os clientes geralmente não prestam muita atenção e que eles geralmente evitam?! Então, são os próprios. Por isso geralmente são favoráveis para exposições de promoções fora de época, linhas de produtos descontinuados ou com grade incompleta.

6. Ponto focal
São pontos estrategicamente projetados para despertar o interesse dos consumidores além de funcionarem como grandes atrativos para que eles percorram todos os espaços da loja, afinal a exposição dos produtos precisa ser interessante e dinâmica para despertar a curiosidade do shopper e estimular a permanência dele no ambiente de venda o máximo de tempo possível. Podem ser cartazes, ilhas de manequins, imagens de campanha entre outros.

 

Gostou das dicas? Precisa de ajuda para planejar o seu espaço de venda? Deixe um comentário ou entre em contato conosco!

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s