MARKETING OLFATIVO: O ARTIFÍCIO QUE O LOJISTA NÃO PODE IGNORAR

Por Flávia Pastorelli

Marketing Olfativo é assunto recente no Brasil. Também conhecido como Marketing Aromático, chegou ao varejo brasileiro em 2006 e é algo tão importante numa loja quanto todos os outros artifícios do Marketing Sensorial. Grandes empresas, que se inspiram em exemplos estrangeiros, já entendem sua importância, mas empresários menores ainda resistem em desenvolver um aroma para seus estabelecimentos.

Os motivos variam entre não acreditar que um aroma possa influenciar no bem-estar do cliente e motivá-lo a comprar e por achar que se trata de estratégia secundária. Mas o maior dos tabus é achar que isso representa um alto custo de investimento, sem mesmo pesquisar o que as empresas do segmento de produção de aromas têm a oferecer. Pesquisas breves no mercado constatariam a estes empresários que é possível investir e que o retorno é comprovado.

Lurk-owner-Anne-Sanford

Anne Sanford – Lurk.

Ao planejar um negócio para o varejo que possa durar anos no mercado é imprescindível fazer diferente em relação à concorrência, principalmente porque os nichos de investimento se repetem. É importante ter um bom projeto de Arquitetura de Varejo em um bom ponto comercial, oferecer um atendimento surpreendente ao som de música ambiente agradável. Somando valor a tudo isso vem a cereja do bolo: o cheiro da loja! Se o Visual Merchandising estimula o sentido da visão, o Marketing Aromático é responsável por despertar o sentido humano mais primitivo e que se conecta mais diretamente com a memória – o OLFATO.

Sim, quando se fala de transmissão de informações à memória, o olfato supera a visão!

Os seres humanos são capazes de memorizar…

… 35% dos odores que sentem contra 5% das imagens que vêem

além de poderem reter até…

… 10 mil aromas contra 200 cores*

Memorizados facilmente, os odores são resgatados pela memória com a mesma rapidez. Quando o cérebro constata que algum aroma é familiar e agradável, o cliente, inconscientemente, terá suas boas lembranças de volta à mente e, em consequência disso, terá seu humor melhorado, permanecerá na loja por mais tempo por se sentir bem naquele local e comprará produtos com muito menos esforço da equipe de vendas. Dados como estes costumam convencer o lojista a investir em Marketing Olfativo. Entretanto, muitas vezes, com a intenção de poupar investimento, ele ainda pode começar errado seu novo negócio, ao pensar em colocar em sua loja o mesmo aroma de outra marca já conhecida e renomada no mercado. Afinal, se funcionou lá e ele pretende atingir o mesmo público, também vai funcionar na dele, certo? Errado! Este erro é pior do que a loja não ter cheiro nenhum! E por quê? Se um cliente entra numa loja e sente um cheiro conhecido e marcante para ele, sua memória irá resgatá-lo imediatamente e em sua mente será formada a imagem da tal marca do perfume copiado. Assim, não haverá nenhuma construção da identidade daquele ponto de venda na memória de seu público. A imagem da loja não se consolidará no inconsciente de quem o lojista mais deseja conquistar – o cliente. Neste caso, o investimento será, de fato, mal feito, pois só reforçará a identidade da outra marca, que muitas vezes é uma concorrente. Como tudo numa loja, um aroma precisa ser exclusivo, para que possa se comunicar com seu público de forma marcante, colaborando para uma experiência de compra memorável. Estabelecimentos sem identidade podem até permanecer no mercado por algum motivo peculiar, mas não se tornam referência e sobrevivem como “mais um na multidão”. Tendem a desaparecer quando a concorrência inteligente encontra a oportunidade de oferecer melhor serviço, ganhando o consumidor que está cada vez mais exigente e seletivo.

Investir em Marketing Olfativo corretamente é enxergar não somente a criação de uma logomarca olfativa que contribua para a fidelização de clientes, como também vislumbrar a oportunidade de comercializar a fragrância da loja, tão logo ela esteja fortemente fixada na memória do cliente, oferecendo-a como mais um produto do mix. E por que não um dos mais cobiçados? Quando um cliente deseja levar para casa “o cheiro da loja”, representa um grande passo na história da consolidação de uma marca. Significa que vai haver outros novos empreendedores querendo aquela fragrância em seus estabelecimentos.

Mas opa, opa, opa! Vamos indicar este texto a eles para que compreendam a necessidade de serem autênticos e, dessa forma, atingirem o sucesso!

* dados retirados do artigo científico Aromas e Segredos, uma Experiência no Mercado Público de Porto Alegre/RS-Brasil 

.

.

Flávia Pastorelli é criativa, apaixonada por dança, leitura e estudo. Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade São Judas Tadeu, em São Paulo, Flávia Pastorelli percorreu segmentos de projeto residenciais e comerciais de vários portes até chegar em projetos de Arquitetura de Varejo. A partir de então, estuda e agrega Acessibilidade e Visual Merchandising no desenvolvimento de seu trabalho.

.

.

Gostou do texto? Então curta, comente, compartilhe. Só não se esqueça: esse conteúdo é autoral e elaborado com muito carinho por nós para você, então caso queira usá-lo fique a vontade só não se esqueça de atribuir os devidos créditos, combinado?!

2 Comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s